Prioridade para hidrovia Brasil-Uruguai é debatida por autoridades do Uruguai e Rio Grande do Sul

Prioridade para hidrovia Brasil-Uruguai é debatida por autoridades do Uruguai e Rio Grande do Sul

14 de May de 2021 0 By fredericoantunes

A viabilidade da hidrovia Brasil-Uruguai, para modernizar a logística no comércio bilateral, foi examinada em “live”, na tarde desta sexta-feira (14), organizada pelo Embaixador do Brasil no Uruguai Antônio Simões. A obra, que envolve a dragagem do Canal Sangradouro até a Lagoa Mirim, passando pelo Canal São Gonçalo/Pelotas e chegando a Rio Grande, é uma etapa importante desse projeto de interesse dos dois países e que será complementada pelo Porto de Taquari, no Uruguai.

O projeto já foi elaborado pelo DNIT e as licenças ambientais solicitadas. Os custos da dragagem estão avaliados em R$ 25 milhões, “muito pequenos diante da importância da obra”, defendeu o engenheiro Sérgio Klein, do consórcio de empresas interessadas nesse projeto, argumentando que a capacidade estimada de transporte de cargas varia entre 765 mil a três milhões de ton/ano.

O Governo brasileiro, com as dificuldades financeiras (pandemia e orçamento), trabalha com a possibilidade de transferir essa obra ao setor privado, mediante concessão. O Embaixador Antônio Simões estimou em doze meses o prazo para que todas as etapas sejam vencidas, até a publicação do edital. A Secretária de Relações Federativas e Internacionais do RS, em Brasília, Ana Amélia Lemos, vai auxiliar nos contatos com o Secretário Nacional de Portos e Transportes Aquaviários, do Ministério da Infraestrutura, Diogo Piloni, para aprofundar o debate em torno desse projeto, que vem sendo acompanhado de perto pelo Líder do Governo na Assembleia Legislativa e ex-presidente da Comissão do Mercosul, deputado Frederico Antunes (PP).

Representando o Governo uruguaio, o Subsecretário dos Transportes Juan José Olaizola, ressaltou a importância dessa obra para integrar o complexo hidroviário binacional que se conecta ao Porto de Taquari.